‘O VILAREJO’, DE FIÓDOR DOSTOIÉVSKI

Por Nei Duclós

Em 2020 fiz as pazes com Dostoiévski. Leitor irregular do gênio, naveguei o seu pequeno romance O Vilarejo, publicado pela Global nos anos 80 e que desde então dormia na biblioteca doméstica.

O personagem narrador é um jovem recém formado que, convocado pelo tio rico, é muito tolo para um casamento de ocasião. O centro do conflito é um criado metido a sábio e chantagista. Desfilam nas situações tensas, a tia viúva, a jovem inocente, a herdeira rica, os criados veteranos e moços, etc.

O livro me fisgou pela riqueza da fabulação com personagens em conflito que mostram a ascensão dos intelectuais sobre uma decadente aristocracia. Os fatos são mínimos, o que se destaca é a trama interativa entre eles, com todas as suas misérias e esperanças. Só mesmo um grande escritor para não cair no dramalhão ou na comédia de costumes.

É romance com carga pesada de humanidade que Dostoiévski nos revela com sua arte imparável. Mestre incomparável.

Leia mais do autor em Sepé.

🛒 Clique e encomende o seu exemplar

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s