Tag: Inéditos

EU DESAPAREÇO, por Cristiano Fretta

(…)What I’ve feltWhat I’ve knownNever shined through in what I’ve shownNever beNever seeWon’t see what might have been(…)The Unforgiven – Metallica Questão das mais instigantes refere-se à quantidade de vomitados nas paradas de ônibus de Porto Alegre: difícil é vermos uma única parada que não tenha um amontoado de massa triturada e mal digerida na…

Leia mais EU DESAPAREÇO, por Cristiano Fretta

AMARE, por Catia Schmaedecke

Antigamente Porto Alegre era uma cidade murada cujo portão se fechava ao anoitecer para impedir a entrada de possíveis invasores através das águas, e abria-se nas primeiras horas do dia seguinte. Era o que aparentava à primeira vista, quando havia a escassez de chuvas torrenciais e consequentes cheias. Foi ali, às margens do Guaíba, que…

Leia mais AMARE, por Catia Schmaedecke

FUMAÇA, por Giovani Thadeu

Doralina, mais conhecida na vizinhança como Dora, é uma senhora septuagenária, aposentada, viúva, vivem ela e Fumaça no seu pequeno apartamento. Fumaça deve seu nome ao tom cinza do seu pelo e também ao seu comportamento onipresente e irrequieto, Fumaça está aqui, ali, lá e de novo aqui. Dora é uma senhora de baixa estatura,…

Leia mais FUMAÇA, por Giovani Thadeu

EXCALIBUR, por Milene Barazzetti

E passaram-se dias. Quando a luz voltou, depois desse tempo, foi o momento de despertar de Esmeralda. Acordou com as lambidas de seu gato, companheiro de isolamento. No início, com luz e internet funcionando, o isolamento foi saudável. Mas, depois de algumas semanas, alguns sistemas de gerenciamento de dados não conseguiram mais dar conta do…

Leia mais EXCALIBUR, por Milene Barazzetti

3 poemas de Marco de Menezes

pássaro, 1994 depois, bem depoisque meu amigo Luizse jogou do terraço do nosso apartamento,passamos a chamá-lo de homem-pássaroque era uma forma de rirmosde um assunto que não nos deixava mais tristes estava tudo previstoele, ou parte dele,já havia cortado os pulsos uma veze tomado umas pílulas outra vezmas isso a gente não sabiafoi o irmão…

Leia mais 3 poemas de Marco de Menezes

5 poemas de Jéssica Iancoski

ROLOS DE PAPEL FILME como ybásecando longe do pé dedos esticadospela ganância brancaformam uma linhado polegar ao mundinho movimentos de pinçaroubam a tangerinatentando extraira seiva interina sem que saibamrobôs descascamo firmamento frutos envoltos em etilenoenrolam horizontesem rolos de papel filme UM SÓ LAMENTO PARA O SOTERRAMENTO enquanto cipósse lançam do altodas copasbuscandoa semente pessoastrocam de…

Leia mais 5 poemas de Jéssica Iancoski

De ‘OLD PARR’, de Armando Moura Filho

Noite espichada Noite espichada,Dia que se recusa a chegar.A noite profunda é o meu habitat,Quando ela chega saio para as ruasDesertas, o lixo carregado pelo vento,Que posso ver até onde permite a neblina.Movimento-me por calçadasIrregulares e estreitas. Às vezes,Tropeço. Quase caio.Vejo luzes de bares quebradas pelaDensa bruma,Dentro deles só corações sangrandoDe solidão.Não é real, estou…

Leia mais De ‘OLD PARR’, de Armando Moura Filho

3 poemas de Ines Lempek

Refluxo das horas Havia um fogomornouma sombraocultaatrás das horasidas Um raio indiscretofulminando silênciosdiminuíao hiato No esconderijoa céu abertopalavras aqueciama pele Segredos reveladosa céu noturnona areia movediçauma estrada Olhos entreabertosa maré semeiacorpos renovadosno refluxo das horasidase vindas. Estiagem Entrego esse sorrisodobrado e guardadona caixa de fantasiasque o musgo do invernoesqueceu de cobrir a chuva metálicaacordou o…

Leia mais 3 poemas de Ines Lempek

5 poemas de Thamar de Araújo

Sinto que ficareià deriva.Mas desta veznão cristalizareias tempestades.Transformarei o além-marem marolassuficientementefrágeis,para eu repousar. Enquantoosustonãopassa, enquantoatristezanãocansa, intentarei novos altares.Amanhecerei outras.Carregarei flores,com cores inventadasque ainda nem sei,por lugares inimagináveis,onde escaparei.Anoitecerei eras.Reconhecerei poucas. Decantarei. “Tsunami” in “Memorial de Lilia.” Descobertas insensatas.Pequenos fracassos.Busco pontes movediças, inauguro naufrágiosde centenas de barcos de papelem dias ensolarados. Respiro por entre os cantosde…

Leia mais 5 poemas de Thamar de Araújo

5 poemas de Graziela Jacques Prestes

Inquietação Em que clarão me lancei?Tanto espaço entre o calado e o expressoUm universo metaversoDia e mente escrevo parágrafosInteirosMedo e razão apagam tudoQuerem o tempo em negaçãoA segura certeza do grande irmão Poros O amor descoberto em noite de lua cheiadegustado em cálice de vinhoexpande os corposapeia, gaucheque a solidão é vento de areia Jardim…

Leia mais 5 poemas de Graziela Jacques Prestes

5 poemas de Daniel Ricardo Barbosa

As Cinco Irmãs Ausentes estrelas, cruzeiro do sula bússola coração que vagueiaa respiração nítida condensadaacelerada como bater de palmasem espaço de engolir os sonos. Equilibre o que não pesameça a força do tempoescreva peça na escuridão. A cena é a que se repeteas crianças brincam, bolabarcos de papel, chocolateos lábios sujos de ranhomarcados pela terratudo…

Leia mais 5 poemas de Daniel Ricardo Barbosa

3 poemas de Iolly Aires

desidentificação convidaram-me a sentar à mesacom a condição de que me alienasse de mimapenas para comer as sobrasao invés de oferenda que alimentasse o meu serpor isso, começo a expelir a bílis da assimilaçãode um desejo alheio ao que me constituide um parâmetro alheio a quem sou. o quanto de mim foi perdidodesacreditado, esvaziado?quem é…

Leia mais 3 poemas de Iolly Aires

5 poemas de Mar Becker

Num fio I não importa o que eu diga das tuas mãos só posso amá-las como amopelo que não sei dizer amo tuas mãos ali onde elas calam no silêncio que guardam, intacto como o nomede um pássaro não catalogado II da tua boca não importa o que eu diga amo-a porque me escapa a…

Leia mais 5 poemas de Mar Becker

5 poemas de Carlos André Moreira

Profilaxia Esfrego as mãos até a pelePelando, desfazer seus nósE sabe-me a saibro e sabãoA pasta vencida das horasOs olhos nublados da areiavestígios de lágrima e póTateio nos vincos da faceo rosto antigo que não tenho Por mais que tome cuidadoMe corto todas as manhãsNo gume afiado do dia. Amarcord I Na cidade, vivia o…

Leia mais 5 poemas de Carlos André Moreira

3 poemas de Giulia Barão

A pedra Se eu fosse uma pedrapresa a uma parede marítimateria sentido o desejode me soltar e sair correndosem destino, mas contracorrentee também o medode afundar no esquecimentoe também o pesode abandonar um continente. O rio Quisera esfacelar meus ossossem morrere sair pelo mundoarrastando-me, sem pressatoda sangue e biomassaamorosa, pareceque a doçura é líquidae o…

Leia mais 3 poemas de Giulia Barão

A TRAVESSIA, por Antonio Prates

(Homenagem a Sergio Faraco) Estava bebendo canha no bolicho do Chico Bugre, um casebre de madeira cuja última mão de tinta deve ter sido dada no tempo das Missiones. Pelo menos assim o descreveu Seu Quintino, que tomava também seus tragos, de pé, junto ao balcão. Quintino estava tão borracho que deu pra falar bonito,…

Leia mais A TRAVESSIA, por Antonio Prates

3 poemas de Juliana Meira

ainda somos de osso de carnealguns de alma e como parte num todoa vida continuaparece até funcionar levantamos nossos mortos por sua veznossos mortos apenas elesdescansam já vou quea madrugada me ameaçacom outra manhãcom outra cara e humore gasta esperança Juliana Meira vive em Canela/RS. Publicou, entre outros, água dura (Artes & Ecos, 2019), na…

Leia mais 3 poemas de Juliana Meira

3 poemas de Patrícia Peterle

A caça Animal estranho e entranhantetímido e protervo caminhavai seguindo seu rumo em desaprumoarisco arredio temeráriosuas ações abrem trilhas promovemcontaminações inesperadas. Armadilhas de sentidosartista camaleônico e libertino que em seu obrarse desloca a todo instantepõe-se à escuta de outras vidas vozesque soam uma música longínqua. Intérprete musical? Por que não. Meio masoquistageneroso e curioso, em…

Leia mais 3 poemas de Patrícia Peterle

6 poemas de Ines Lempek

A magia do tempo Tudo alisão lembrançasnossas memóriasmergulhadasuma piscina cheiade horasnão se esvazia Lembra daqueles diasmeus olhosteus olhosnossos olhosjuntos brilhavamno infinito congeladode nossos encontros No Jardin des Planteso corvo de Allan Poee orquídeas selvagensse entrelaçavamdançarinas de veludosobre o gigantescotapete verde e úmidocheiro de cio da manhã Na sala de estardois globosde vidro transparenteságua escorrendocachoeiras vertiamlágrimas…

Leia mais 6 poemas de Ines Lempek

5 poemas de Armando Moura Filho

Animal microscópico sobreviveVinte e quatro mil anos em geleiraDa Rússia;A vida é virtualmente eternaFora do circuito religioso.Isso, confesso, me entusiasma.O texto que segue ficou prejudicadoCom a descoberta –Tenho 77 anos de idade eApenas dois de poesia.Não disponho de muito tempoPara me aprimorar ( essa premissa ruiu ).De qualquer modo, estou presente e ativoNas madrugadas sempre…

Leia mais 5 poemas de Armando Moura Filho

3 poemas de Mário Baggio

Parto Quando você não tiver nada,restará pelo menos a escrita.Foi algo que você prometeu em público,ao vivo:escrever até morrer,morrer se não escrever. Se, por acaso,até escrever for difícil,quando nenhuma ideia lhe ocorrer,nem nova nem velha,abra a garganta e grite.Coloque esse grito no papel.Sei que é só um grito,mas vale mesmo assim.Preferível é gritar a se…

Leia mais 3 poemas de Mário Baggio

5 poemas de Marcelo Martins Silva

Ressaca Quando teus olhos me entram o corpoE atingem o tumulto dos sonhosRepousando as coisas pequenasQue sussurramosNa cama de lençóis amassados,É ali, nesse lugarQue a palavra nasceIluminando a hora primeiraDe todas as manhãs. Valentine’s O amor comeuo olho direito que eu tinha.Não fiquei cego – de amor,só caolho.Hoje vivoamores pela metade,mas canhotos.antes caolho doque mal…

Leia mais 5 poemas de Marcelo Martins Silva

3 poemas de Lucas Barroso

Poema das crianças O bebê de um ano e onze meses morto a pauladas pelo pai,As dez crianças mortas pelo vigia que ateou fogo na creche,O menino assassinado pela polícia dentro casa com setenta e um tiros disparados a esmo,O garoto estrangulado pela mãe,O garoto empalado pelo homem desconhecido,A menina alvejada pela facção rival do…

Leia mais 3 poemas de Lucas Barroso

5 poemas de Adroaldo Bauer

presente sem passadopassado a limpoganhei o presentenão há futuro! 20/12/2009 vai-se só o vazioperda do que se não tinhao vazio se esvaiue se vai nele o que havia. 14/11/2009 lua alagadaintrigado ficarabombardeado, um lado da luaalagado restara 13/11/2009 Devires Grandes momentosvirão reviradosde nós mesmos 20/03/2009 Pedaços do coração 3 Atormentadas circunstânciasIndizíveis deslembrançasInda revoltam as benquerências…

Leia mais 5 poemas de Adroaldo Bauer

ELOGIO ÀS ESCADAS, por Cristiano Fretta

A arquitetura como construir portas,de abrir; ou como construir o aberto;contruir, não como ilhar e prender,nem contruir como fechar secretos;contruir portas abertas, em portas;casas exclusivamente portas e teto(…)Fábula de um arquiteto – João Cabral de Melo Neto Os primeiros passos eram amplidão branca e deslumbrante que se explodia em luminosidade e acabava por dilatar as…

Leia mais ELOGIO ÀS ESCADAS, por Cristiano Fretta

O CLUBE, por Gustavo Lagranha

“Nem tudo que brilha é relíquia nem joia”Racionais MCs – Eu sou 157 Dois, um e meio, dois e meio, será? Diôni tentava calcular de cabeça, para se distrair, quanto custavam os carros estacionados em frente ao beach club California Nation. Até então, um Maserati, um Porsche – não desses mais baratos, de setecentos mil,…

Leia mais O CLUBE, por Gustavo Lagranha

REVISTA DO GLOBO EM BUSCA DE DEFINIÇÃO QUANTO AOS GÊNEROS JORNALÍSTICOS – ANTONIO HOHLFELDT

Genericamente, a revista é uma publicação periódica, entre o semanal e o mensal, que trata de interesses gerais ou relacionada a uma determinada atividade ou segmento etário ou de gênero. Tem, em geral, a forma de brochura, isto é, sem capa dura, em formato menor que o do jornal, mesmo no caso dos chamados tablóides,…

Leia mais REVISTA DO GLOBO EM BUSCA DE DEFINIÇÃO QUANTO AOS GÊNEROS JORNALÍSTICOS – ANTONIO HOHLFELDT

A PARCA – SIMONE SAUERESSIG

A velha tapeceira parou junto à janela, no dia em que Wuhan apareceu nos noticiários. Ela não sabia aonde ficava Wuhan, como a maioria das pessoas que não viviam na China, mas franziu os olhos para o velho relógio de parede que tiquetaqueava, como se ele tivesse algo a ver com isso. Aos poucos, a…

Leia mais A PARCA – SIMONE SAUERESSIG

DUAS CRÔNICAS DE FERNANDO CHEMALE

ME PRENDAM!EU ROUBEI DE UMA CRIANÇA! Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito, Vossa Excelência Promotor Público e Prezados Jurados, aviso que abro mão dos préstimos de um advogado, uma vez que farei minha própria defesa. Vossa Excelência, os filhotes do “Homo Sapiens Sapiens” são muito queridos, engraçados, inteligentes, espontâneos e hipnotizantemente fofos, mas sinto dizer…

Leia mais DUAS CRÔNICAS DE FERNANDO CHEMALE

3 MINICONTOS DE CLAUDIO B. CARLOS

O CHEIRO DOS CUSCOS NAS BOMBACHAS Enquanto todos brincavam de campinhos, e de ser Batista, Zico, Sócrates, Cerezo, De León ou Falcão, eu preferia ficar com a cuscada. Eu queria ser ninguém. Me perder entre os guaipecas vadios e pronto. E só. Eu abraçava os cuscos e sentia o coraçãozinho lá deles batendo junto ao…

Leia mais 3 MINICONTOS DE CLAUDIO B. CARLOS

5 CRÔNICAS DE TIAGO MARIA

O dia que Deus falou comigo Gostaria, mesmo, caros leitores, de ser pintor, e bom pintor, para colocar sob seus olhos, com fidelidade, o encantamento que aquela aparição causou em todos os Santos do Apolinário… Mas antes deixa contar aqui como Ele me salvou da morte. Dormíamos, minha senhora e eu, como fazemos há mais…

Leia mais 5 CRÔNICAS DE TIAGO MARIA

JOAQUIM – CATIA SCHMAEDECKE

Quando eu estava prestes a abrir a porta, um arrepio percorreu minha espinha. Senti um par de olhos em voos rasantes desde a lombar até a cervical. A proximidade de minha mulher era a certeza de não haver espaço para a desistência. O mais tênue sinal de indecisão de minha parte sepultaria a minha carreira…

Leia mais JOAQUIM – CATIA SCHMAEDECKE