Categoria: ENSAIO

A PRODUÇÃO E A RECEPÇÃO DOS ESCRITOS DE QORPO-SANTO: APONTANDO TRANSFORMAÇÕES NAS RELAÇÕES ENTRE ARTE E LOUCURA, por Elizabeth Lima

A partir do século XVIII tornou-se comum, entre os artistas, a prática de desenhar pessoas encarceradas em asilos; alguns desses desenhos registram loucos desenhando ou traços e figuras nas paredes das celas (Barbosa, 1998). Essas imagens nos mostram que o interesse dos artistas pela loucura encontrou um movimento de seres que, em situações limites, buscaram…

Leia mais A PRODUÇÃO E A RECEPÇÃO DOS ESCRITOS DE QORPO-SANTO: APONTANDO TRANSFORMAÇÕES NAS RELAÇÕES ENTRE ARTE E LOUCURA, por Elizabeth Lima

MACBETH – UMA TRAGÉDIA OPERÍSTICA, por Maria Alice Braga

Ópera Verdi com texto de Shakespeare Ópera Verdi com texto de ShakespeareMacBeth (Metropolitan de NY) – 2019Direção de Adrian Noble – condução de Marco ArmiliatoAna Netrebko, como Lady MacBethZeljko Lucic, como MacBethMattev Polenzoni, como MacDuffIIdar Abdrazakov, como Banquo Desde o seu surgimento, na Itália do século XVI, a ópera é uma forma de arte plurimidiática,…

Leia mais MACBETH – UMA TRAGÉDIA OPERÍSTICA, por Maria Alice Braga

POLEMIQUIM EM TORNO DO GRANDE SERTÃO: GUIMARÃES ROSA DETESTOU JOYCE, PREFERIA SIMÕES LOPES NETO, por Sidnei Schneider

Quem conta a história de Grande sertão: veredas, o romance de Guimarães Rosa, é o personagem Riobaldo. Tudo o que saberemos a partir da sua leitura é narrado por ele a um doutor da cidade. É essa narrativa que constrói o personagem e todos os outros. As opções sintáticas e a escolha vocabular que lhe…

Leia mais POLEMIQUIM EM TORNO DO GRANDE SERTÃO: GUIMARÃES ROSA DETESTOU JOYCE, PREFERIA SIMÕES LOPES NETO, por Sidnei Schneider

‘BELICOSAS FRONTEIRAS’, org. por Jonas M. Vargas

Ao longo do oitocentos, as Américas foram palco de profundas transformações socioeconômicas e políticas e os conflitos militares estiveram relacionados a muitas delas. Século marcado pelas independências, pelo surgimento dos Estados nacionais, pela construção das fronteiras e limites territoriais, pela abolição da escravidão africana, pelas reformas liberais que prepararam o continente para a implantação do…

Leia mais ‘BELICOSAS FRONTEIRAS’, org. por Jonas M. Vargas

REVISTA DO GLOBO EM BUSCA DE DEFINIÇÃO QUANTO AOS GÊNEROS JORNALÍSTICOS – ANTONIO HOHLFELDT

Genericamente, a revista é uma publicação periódica, entre o semanal e o mensal, que trata de interesses gerais ou relacionada a uma determinada atividade ou segmento etário ou de gênero. Tem, em geral, a forma de brochura, isto é, sem capa dura, em formato menor que o do jornal, mesmo no caso dos chamados tablóides,…

Leia mais REVISTA DO GLOBO EM BUSCA DE DEFINIÇÃO QUANTO AOS GÊNEROS JORNALÍSTICOS – ANTONIO HOHLFELDT

A ADAPTAÇÃO CINEMATOGRÁFICA DE ‘O SOBRADO’ – MATEUS DA ROSA PEREIRA

Como realizar uma adaptação cinematográfica competente do ponto de vista estético, com uma boa dose de originalidade e um diálogo profundo com sua obra de origem, sem receber acusações de que se trata de um filme com valor artístico menor, como se fosse um subproduto ou cópia da literatura? Geralmente, os filmes que tentam seguir…

Leia mais A ADAPTAÇÃO CINEMATOGRÁFICA DE ‘O SOBRADO’ – MATEUS DA ROSA PEREIRA

A FORMAÇÃO DA LEITURA NO BRASIL, DE MARISA LAJOLO E REGINA ZILBERMAN

Ao fechar este livro, vale a pena frisar alguns pressupostos que o balizaram e as conclusões para as quais ele aponta. Relativamente a seus pressupostos, o de maior peso é a hipótese de que hoje não são muitas, nem tampouco parecem muito instigantes as teorias literárias que endossam concepções exclusivamente textuais e/ou imanentes do literário,…

Leia mais A FORMAÇÃO DA LEITURA NO BRASIL, DE MARISA LAJOLO E REGINA ZILBERMAN

O MUNDO DE SIMÕES LOPES NETO (1865-1916): TRAJETÓRIA INTELECTUAL E PRODUÇÃO CULTURAL NO SUL DO BRASIL – JOCELITO ZALLA

Este texto foi apresentado anteriormente no Simpósio Nacional de História de 2017 e faz parte das discussões do primeiro capítulo da tese “A invenção de Simões Lopes Neto: literatura e memória histórica no sul do Brasil”, defendida em 2018. Nos últimos anos, encontramos um novo interesse pela vida e pela obra de João Simões Lopes…

Leia mais O MUNDO DE SIMÕES LOPES NETO (1865-1916): TRAJETÓRIA INTELECTUAL E PRODUÇÃO CULTURAL NO SUL DO BRASIL – JOCELITO ZALLA

A CARNE DO HOMEM (UM ENSAIO E TRÊS POEMAS CARNÍVOROS) – MARCUS FABIANO GONÇALVES

No gado é que dormimose nele que acordamos.Drummond, Boitempo As pessoas modernas em quase nada diferem daquele bípede implume cuja espécie autonomizou-se geneticamente há cerca de 300 mil anos nas pradarias africanas, já considerada aí a datação das recentes descobertas de fósseis de Homo sapiens no sítio de Jebel Irhoud, no Marrocos, que recuaram em mais de 100.000…

Um homem palestra diante a um pedaço de carne

Leia mais A CARNE DO HOMEM (UM ENSAIO E TRÊS POEMAS CARNÍVOROS) – MARCUS FABIANO GONÇALVES

VIOLÃO COM VOZ NÃO É VIOLÃO DE ACOMPANHAMENTO – FELIPE AZEVEDO

por Felipe Azevedo (1) Em dezembro de 2010, numa entrevista feita comigo em Porto Alegre pelo Jornal VAIA,[2] para uma edição especial sobre Canção, por ocasião do lançamento do meu novo e recente disco, Tamburilando Canções – Felipe Azevedo – Violão com Voz, um dos entrevistadores, o poeta e compositor Guto Leite comentou constatar nas canções deste…

Leia mais VIOLÃO COM VOZ NÃO É VIOLÃO DE ACOMPANHAMENTO – FELIPE AZEVEDO

CINEMA GAÚCHO: CONSTRUÇÃO DE HISTÓRIA E DE IDENTIDADE – MIRIAM DE SOUZA ROSSINI

A História Cultural ratificou, para o historiador, a pesquisa histórica a partir de uma variedade de objetos que, se necessariamente não são novos, sempre foram vistos com muita desconfiança pela academia. Dentre esses objetos está o cinema, o primeiro meio de comunicação audiovisual, produzido durante a expansão da revolução industrial, no século XIX. Ao contrário…

A atriz Dira Paes em cena de Anahy de las Misiones

Leia mais CINEMA GAÚCHO: CONSTRUÇÃO DE HISTÓRIA E DE IDENTIDADE – MIRIAM DE SOUZA ROSSINI

“ÁGUA PARADA”: O OLHAR DA MODERNIDADE NA FICÇÃO DE ALCIDES MAYA – LUCIANA MURARI

Esto que fue una vez, vuelve a ser, infinitamente;los visibles ejércitos se fueron y queda un pobre duelo a cuchillo;el sueño de uno es parte de la memoria de todos. Jorge Luís Borges, Martín Fierro Ao longo de décadas de atuação no meio político e intelectual do Rio Grande do Sul, Alcides Maya percorreu uma…

Fotografia de folha de rosto assinada por Alcides maya para Alma Bárbara

Leia mais “ÁGUA PARADA”: O OLHAR DA MODERNIDADE NA FICÇÃO DE ALCIDES MAYA – LUCIANA MURARI