Tag: traduçao

FLAMINIA COLELLA: ALGUNS POEMAS TRADUZIDOS E UMA ENTREVISTA, por Paulo Damin

Traduzi cinco poemas de Flaminia Colella, poeta italiana até este momento inédita no Brasil. Eles fazem parte do mais novo livro dela, que se chama Guerrafesta (ed. Cartacanta). Na sequência, há uma entrevista exclusiva com Flaminia. Nota-se logo a postura narrativa da poeta. Seus poemas são cenas. Situações cotidianas que, em versos enxutos e sintaxe…

Leia mais FLAMINIA COLELLA: ALGUNS POEMAS TRADUZIDOS E UMA ENTREVISTA, por Paulo Damin

UMA DAMA (Heinrich Heine) e TAPA DE LUVA (Friedrich von Schiller), traduzidos por Mariana Machado

UMA DAMA(“Ein Weib”, canção de Heinrich Heine. Versão de Mariana Machado, a partir da tradução de Wagner Schadeck) Ambos viviam uma paixão:Ela, bandida; ele, ladrão.Quando um trambique ele fazia,Ela, na cama, ria e ria. No ócio de dias sem proveito,À noite, estava ela em seu peito.Levaram-no à delegacia,Ela, à janela, olhava e ria. Fez-lhe um…

Leia mais UMA DAMA (Heinrich Heine) e TAPA DE LUVA (Friedrich von Schiller), traduzidos por Mariana Machado

De ‘POEMAS SOLITARIOS’ e ‘POEMAS MISTICOS’ (Ricardo Guiraldes), por Lucio Carvalho

Fé Eu já me perdi de mim mesmo. Às vezes, tomo as lembranças entre as mãos, com carinho, e busco a infância distante, onde ficaram minha fé e minha força. Eu as vejo ainda lá, detrás de uma intransponível transparência no tempo mostrando com desprezo minha impropriedade de agora e mais admiro a chama tremeluzente…

Leia mais De ‘POEMAS SOLITARIOS’ e ‘POEMAS MISTICOS’ (Ricardo Guiraldes), por Lucio Carvalho

UMA ODE À HUMANIDADE (SÓFOCLES) – TRAD. POR RAFAEL BRUNHARA

(Sófocles, Antígone, versos 332-375) Muitos prodígios e terrores há;nenhum maior que o ser humano.Ele atravessa o mar cinzentojunto dos ventos invernais,ele vaga e vence rugentesondas que o cercam e exaurea mais suprema deusa,a Terra imortal e incansável,ano a ano lavrando-a vaicom o arado e seu cavalo. A raça de aves lépidasO rebanho de ferasas criaturas…

Leia mais UMA ODE À HUMANIDADE (SÓFOCLES) – TRAD. POR RAFAEL BRUNHARA